Pesquisar neste blogue

domingo, 10 de janeiro de 2010

Aparição Mariana em Asseiceira

Aparição Mariana em Asseiceira.




Uma das mais importantes aparições Marianas que ocorreram em Portugal e por sinal a última, deu-se em Asseiceira entre os dias 16 de Maio de 1954 e 16 de Janeiro de 1955.
Primeira aparição de Nossa Senhoras:
O vidente Carlos Alberto da Silva Delgado tinha à data 11 anos e andava na 4ª classe na escola de Asseiceira.

Fotos de Carlos com 11 Anos.


Foto de Carlos com a família em 1954


A professora da escola aconselhava os alunos a rezarem a Nossa Senhora de modo a tirarem boas notas nos exames e a passarem de ano. Carlos costumava rezar fora da escola junto a um loureiro com um outro colega de nome Carrera.
No dia 16 de Maio de 1954, Carlos ouviu um ramalhar do loureiro e olhando para cima viu a imagem de uma senhora pequenina. O colega assustou-se e fugiu para a escola e Carlos queria fazer o mesmo, mas ouviu uma voz que lhe disse ‘Não fujas, eu sou a mãe do Redentor’. A imagem de Nossa Senhora era de uma ‘linda senhora vestida de branco, com um manto azul’ e o tamanho seria a de uma boneca de anos pequena. Antes de desaparecer anunciou que ele iria tirar boas notas no exame e que voltaria no mês seguinte e mandou-o cumprir os 10 mandamentos de Deus e rezar o terço.
Pré-Aparição:
No dia anterior Carlos já tinha tido uma visão quando se encontrava em casa a estudar e olhando pela janela viu a sombra pouco nítida de uma mulher sobre o telhado de uma casa vizinha. A imagem era quase como uma nuvem transparente sendo as mãos e o rosário de contas as únicas coisas bem definidas. A figura movia-se devagar e acabou por desaparecer.
Aparições de 16 de Abril a 16 de Novembro de 1954:
Todos os dias 16 dos meses seguintes a Senhora voltou a aparecer.
Ao saberem destes acontecimentos, milhares de pessoas vinham a Asseiceira e presenciavam curas, sinais no Sol, luzes nocturnas e outros eventos.
Dos milagres ocorridos há registo de pelo menos dois:
- Um pedreiro que após paralítico durante muitos anos voltou a andar sem o auxílio de muletas.
- Uma rapariga do lugar de Abruxanas que devido à meningite não andava nem falava, recomeçou a andar e recuperou a fala.


16 de Julho de 1954


16 de Agosto de 1954

16 de Dezembro de 1954 (penúltima aparição):
O governo da altura não queria mais concorrência para as aparições de Fátima e então mandou a GNR e o exército bloquear todas as estradas de acesso a Asseiceira (ficando mesmo a EN1 sem circulação). As pessoas tinham de passar pelos campos e chegavam a Asseiceira com calçado e roupa pesados de tanta terra. Os habitantes do lugar faziam o que podiam para os ajudar.
Nesta aparição mais de 40.000 pessoas chegaram a Asseiceira vindas de todas as partes do país.
É deste dia que existem mais relatos de acontecimentos insólitos.
Na noite anterior as pessoas viram uma procissão de luzes de vela pelo ár (não havia pessoas nem velas, era somente as luzes das velas que se moviam). Nesta noite também foram avistadas luzes anormais a deslocarem-se pelo céu.
Pelas 14:23 já do dia 16 muita gente viu a imagem de Nossa Senhora com cerca de 70cm e alguns também viram o anjo que a acompanhava.
Carlos tinha feito um pequeno altar com santinhos de papel e velas. Os militares da GNR retiraram as coisas do altar, mas inexplicavelmente as chamas das velas continuaram acesas.
No final do dia o Sol começou a oscilar e era possível olhar para ele directamente sem ferir os olhos. Do Sol saíam raios coloridos.
16 de Janeiro de 1955 (última aparição):
Última aparição de Nossa Senhora.
O vidente Carlos Alberto:
Foi sempre uma pessoa bastante estimada e respeitada fazendo uma vida normal.
Estudou, fez o serviço militar e trabalhou no Banco BPA.
Casou e teve dois filhos.
Neste ponto da sua vida é que acontece algo de enigmático, pois quando Carlos casou disse para a sua esposa Célia que só iriam ter dois filhos e que um iria ficar com ele e o outro com ela. No dia 9 de Novembro de 1980 ao querer ajudar o seu irmão que se encontrava doente na distribuição de carvão teve um acidente seguido de capotamento no qual morreu ele mais um dos filhos que ia com ele no camião. Cumpriu-se o destino ficando a viúva com a filha e o Carlos levou o filho com ele.
16 de Novembro de 1980:
Muita gente veio a Asseiceira comemorar as aparições Marianas dos dias 16 e como era Domingo vieram apresentar os pêsames à família pela morte de Carlos no Domingo anterior.
Neste dia todos presenciaram o mesmo fenómeno no Sol ocorrido no dia 16 de Dezembro de 1954. Apareceram sinais no Sol, podia-se olhar para este directamente e dele saíam raios de diversas côres que inundavam a região.
De 1955 até aos nossos dias:
Após as aparições foi construída uma capela onde se reza o terço todos os dias e onde também se realiza uma procissão todos os dias 16 pelas 14:00.


Carlos a rezar a Nossa Senhora

Procissão em 1956

Capela de Nossa Senhora nos anos 70


16 de Janeiro de 2004 (Comemoração dos 50 anos das aparições):
Estava um dia azul celeste aparecendo só ocasionalmente algumas nuvens passageiras.
Depois de se iniciar o terço apareceu uma nuvem por cima de Asseiceira e aí ficou imóvel embora outras pequenas nuvens e até aviões irem passando. Então esta nuvem que estaria a uns 1000 metros de altitude transformou-se tomando a forma de um coração. No final da liturgia a nuvem começou a deslocar-se lentamente para Sul.
Após as comemorações dos 50 anos das aparições, iniciaram-se obras de restauro e ampliação na capelinha de Nossa Senhora.
No largo existe também o ‘Centro Social São Domingos’.


Fica a título de curiosidade a lista com as aparições Marianas em Portugal:
Muge 1357
Fátima 1431
Ponte de Lima 1497
Quintã 1590
Castanheira ( Aljubarrota) 1600
Sandim da Serra 1603
Vilas Boas (Torre de Moncorvo)1673
Balugães (Monte Castros) 1702
Cabo da Roca 1800 a 1850
Barral (S.João Vila Chã) 1917
Fátima (Cova Iria) 1917
Bitarães (Chãos) 1928/29
Vila Cova (Lovagueira) V.N.Paiva 1939
Chão das Maias 1947 e 1948
Oriz ( Silvosa) 1946
Vilar Chão 1946
Amareleja ( Chouças) 1950
Asseiceira 1954

As fotos antigas que existem neste artigo foram retiradas do seguinte site:

Pode também consultar um postal enviado pelo vidente a Beatriz Fogaça em:
http://rio-maior-cidadania.blogspot.com/2011/09/postal-do-vidente-de-asseiceira-carlos.html

1 comentário:

  1. Que lindo nossa mãe do céu já não sabe mais o que faz para salvar tantas almas perdidas.

    ResponderEliminar