Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Paulo Paixão Miguel e o projecto Corre com Alma

Paulo Jorge Paixão Miguel

- Docente da Escola Superior de Desporto de Rio Maior
- Treinador de Atletismo
- Atleta (Corredor Popular)
- Coordenador do projecto ‘Corre com Alma’
- Licenciado em Ciências do Desporto (Faculdade de Motricidade Humana - UTL)
- Mestrado em Alto Rendimento Desportivo – Ramo Treino (Universidade Autónoma de Madrid)
- Estudante de Doutoramento em Rendimento Desportivo (UCLM - Toledo)
- Curso de 2º Grau da ‘Internacional Association of Athletics Federations’ – Velocidade e Barreiras.


O Paulo nasceu a 22 de Julho de 1973 em Santarém. É natural de Outeiro da Cortiçada, mas aos 6 anos mudou-se para Assentiz. Aos 31 anos mudou-se novamente e passou a residir na Fonte da Bica.
Começou a correr com 6 anos por influência do seu pai e a partir dos 9 anos começou a praticar com regularidade. Apesar da sua dedicação à corrida (os 800 metros são a sua prova preferida) já praticou muitas outras modalidades como o futebol, a natação e o btt.
Quando questionei o Paulo sobre o que mais lhe agradava na corrida, ele respondeu:
‘A corrida é uma forma de expressão, quando corro sinto-me livre e de boa saúde, quando vejo alguém correr aprecio as características dessa mesma corrida e do corredor ou corredora. A forma de correr diz muito acerca da pessoa, para mim é uma extensão da sua personalidade.’
Apesar de não se vangloriar com os seus resultados como atleta, tem no seu curriculum, um 5º lugar no KM jovem nacional e a participação na equipa do CNRM (Clube de Natação de Rio Maior) na 1ªdivisão em 1996.


Os feitos de que mais se orgulha são no entanto como treinador e o 1º título de Campeão Nacional de Portugal nos 400m de Paulo Ferreira, em 22 de Julho de 2001 marcou-o bastante pois foi também o recorde pessoal do atleta com 47,15s e este feito foi como uma prenda pois coincidiu com o seu aniversário. Cada internacionalização e cada subida ao pódio de um seu atleta são marcos importantes e o Paulo orgulha-se de já contar com muitos destes feitos. Já treinou atletas como Paulo Ferreira, João Lopes e Nuno Nunes.
Nos últimos tempos o projecto ‘Corre com Alma’, do qual é fundador e coordenador, tem-lhe ocupado muito tempo mas ao mesmo tempo tem-lhe dado imenso gozo, pois cada passo deste jovem projecto é uma conquista.


O projecto ‘Corre com Alma’ nasceu em Julho de 2008 devido a um desencadear de situações que levaram a uma busca mais criativa para desenvolver a capacidade desportiva e pessoal de cada atleta.
Este projecto é especialmente dirigido a jovens que realizam ou pretendem realizar a sua preparação atlética em Rio Maior e propõem-se ajudar, incentivar e desafiar aqueles que entendem que podem dar o melhor de si mesmos em cada ‘corrida’ em que tomam parte.
A ‘Quadro de Talentos – Associação de Desenvolvimento Atlético e Pessoal’ é a instituição que representa o projecto. Com o ‘Corre com Alma’ colaboram vários treinadores, atletas, investigadores e psicólogos.


O Paulo encara as dificuldades como oportunidades para crescer e se superar.
Pretende poder num futuro próximo dedicar-se a tempo inteiro ao projecto ‘Corre com Alma’ e à valorização desportiva e pessoal dos atletas.
Projectos para o futuro não faltam, como o de criar uma estrutura profissional para apoio a atletas, na vertente desportiva e de desenvolvimento pessoal. Aumentar o número de atletas em pódios nacionais, aumentar o número de atletas internacionais e aumentar o número de atletas em Jogos Olímpicos.

Ficam de seguida algumas das ligações na Internet de Paulo Paixão Miguel, um homem ligado a Rio Maior, cheio de iniciativa, a trabalhar na área do desporto que é um dos símbolos da nossa terra e que merece toda a nossa admiração e apoio.
Para os jovens que pretendam praticar e desenvolver-se no atletismo só posso deixar o conselho de procurarem o apoio do projecto ‘Corre com Alma’ pois distingue-se por aliar a vertente de desenvolvimento pessoal ao aspecto desportivo e os resultados estão a começar a aparecer de forma consistente dentro deste grupo de trabalho.
Ao Paulo, um obrigado por ter permitido este artigo e um desejo de continuação dos muitos sucessos.

Ligações:

E-Mail:

Alguns videos do projecto ‘Corre com Alma’:
Apresentação
A Semente
A tua Vida
O Caminho
O Desafio

Alguns artigos publicados:
A Economia de Corrida e o Treino de Força
Programa de Desenvolvimento da Resistência

domingo, 24 de abril de 2011

Bica d'água em Alfouvés

 Em Alfouvés existe uma bica d'água no largo que fica perto da igreja.
A bica está protegida por um telheiro e possui um bonito painel de azulejos de 1997.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Pavilhão Multiusos de Rio Maior


O Pavilhão Multiusos de Rio Maior foi inaugurado no dia 06 de Novembro de 2001 (dia de feriado municipal), pela Ministra do Planeamento, Elisa Ferreira e pelo Presidente da Câmara Municipal, Silvino Sequeira.
 Imagem da altura da inauguração, retirada do site 'Rio Maior Cidade Viva', em:
http://www.riomaior-cidadeviva.com/riomaior/multiusos/multiusos.html


A obra realizada pela empresa ‘Lena Construções Atlântico’, correspondeu a um investimento de cerca de 700 mil contos (aproximadamente 3.5 milhões de euros).
O Pavilhão Multiusos surge no local do antigo ‘Pavilhão de Feiras’ e que também já foi o local aonde existiu o antigo terminal ferroviário da mina do Espadanal (cais da mina).
Esta infra-estrutura serve para realizar eventos culturais, desportivos e económicos. Actualmente e de forma provisória, alberga também a Escola Superior de Desporto que ocupando parte do 1º piso do pavilhão serve para as actividades de ensino, administrativas, investigação, biblioteca e os serviços de apoio à actividade académica.




O Pavilhão que possui uma área coberta total de 12.000m2 está dividido em 2 pisos: O r/ch com uma área disponível de 2.100m2 para exposições; O 1º piso com uma área disponível de 3.700m2 com vocação para realizar exposições e eventos desportivos. Lateralmente existe uma rampa de acesso aos expositores do 1º piso e internamente um elevador para uso de pessoas com dificuldades de locomoção. No 1º piso existe ainda um bar com esplanada panorâmica e no r/ch a área de recepção. Como o Pavilhão foi pensado para acolher o evento gastronómico das Tasquinhas, no r/ch existem as cozinhas completamente apetrechadas para que com segurança possam ser confeccionados os petiscos.

Fica aqui a descrição de mais este excelente equipamento de Rio Maior, com potencialidade para realizar com qualidade feiras, exposições, desfiles, congressos, festas, apresentações empresariais e eventos desportivos.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Moinho D'Ordem em São João da Ribeira

Quem passa pela estrada nacional 114 que liga Rio Maior a Santarém, na Freguesia de São João da Ribeira, encontra uma tabuleta a indicar a localidade de Moinho D’Ordem.
Pouca gente sabe é que realmente existiu ali, a poucos metros de distância um moinho que já pertenceu à Ordem religiosa de Cister e que em meados do século passado ainda funcionava moendo cereais.
O local do moinho, ficava no lado direito da segunda ponte para quem vem da EN114 pela estrada do moinho d’ordem (A primeira ponte é sobre o braço principal do rio Maior e a segunda ponte era sobre o braço do rio que desviava parte do caudal de água para alimentar o moinho).
Os últimos momentos do moinho contam-se em poucas palavras.
A antiga rendeira do moinho da ordem, deu autorização para derrubarem uns barracões que se situavam nas imediações do moinho. Qual não foi o seu espanto, quando constata que juntamente com os barracões o moinho também tinha sido destruído.
O braço do rio que alimentava o moinho foi aterrado e as mós, juntamente com as noras e fundações, ainda lá devem de estar por debaixo da terra.
O derrube do moinho não foi para construir algum novo edifício ou caminho, pois no seu local encontra-se um simples campo de cultivo.
Assim se perde um património que era muito querido pelos habitantes da terra e cujas paredes podiam contar muitas histórias pois embora o edifício tenha-se colapsado em poucas horas, já existia há vários séculos.
O moinho pertencia à família Regalas e os últimos rendeiros do moinho foram o casal Manuel e Isaurinda Montês.



O moinho da Ordem tem este nome pois como já foi dito, pertenceu à Ordem de Cister cujos frades construíram alguns dos moinhos que existiam na região.
O maior mosteiro da Ordem de Cister em Portugal, o Mosteiro ou Real Abadia de Santa Maria de Alcobaça, é uma jóia da arquitectura medieval. Este mosteiro que é desde 1999 considerado Património Mundial pela UNESCO, foi mandado construir logo após a conquista de Santarém aos mouros.
A Ordem de Cister teve uma presença muito forte na região de Rio Maior e dedicava-se entre outras coisas ao comércio de sal das salinas.
A Ordem estabeleceu-se em Portugal pela primeira vez em Tarouca, no ano de 1144.

As fotografias antigas deste artigo são de habitantes de São João da Ribeira que as cederam para um debate promovido pelo Movimento Cívico Ar Puro sobre o rio Maior, em 20 de Fevereiro de 2011.

domingo, 10 de abril de 2011

25 anos das Tasquinhas de Rio Maior

Acabou hoje a vigésima sexta edição das tasquinhas de Rio Maior.
A primeira edição teve o seu início a 15 de Março de 1986.

Ficam de seguida os cartazes das várias edições deste evento gastronómico.

Como facto curioso destes cartazes, verifica-se que se usou o mesmo desenho para os quatro anos compreendidos entre 1992 e 1995.

Cartaz de 2012:
Cartaz de 2013:
Cartaz de 2014:
Cartaz de 2015:

Pode ver mais sobre as tasquinhas, no artigo realizado no ano passado, em:
http://rio-maior-cidadania.blogspot.com/2010/03/tasquinhas-de-rio-maior.html

sábado, 2 de abril de 2011

Piscinas Municipais de Rio Maior

O complexo de piscinas de Rio Maior possui umas instalações modernas, bem interligadas e eficientes em termos energéticos.
Integrado no Complexo Desportivo de Rio Maior, é gerido pela empresa DESMOR.

O complexo de piscinas de Rio Maior foi inaugurado a 6 de Novembro de 1992.
Começou com a piscina de 25m e o tanque de aprendizagem com um custo de 350 mil contos (cerca de 1,75 milhões de euros).
A 25 de Junho de 1994, foi inaugurada a piscina olímpica exterior que era descoberta e que custou 280 mil contos (cerca de 1,4 milhões de euros).
Em 2003 a piscina de 50m foi coberta custando cerca de 1,78 milhões de euros, sendo que grande parte da verba foi suportada pelo programa PIDDAC.
A 31 de Março de 2011, foi inaugurado o centro de alto rendimento de natação que obrigou a obras de requalificação do espaço e custaram cerca de 2 milhões de euros.



Em 2010 os balneários e secretaria foram alvo de remodelações profundas com o objectivo de aumentar o conforto dos utilizadores, mas também uma melhor gestão energética.
Em termos energéticos, Rio Maior, pretende poupar já em 2011 cerca de 50% da energia que costumava gastar com o aquecimento da água das piscinas. Para o efeito foram realizadas obras para melhorar o edificado, principalmente a piscina de 25m. Foi também criado um campo solar de 105 painéis para aquecimento de águas. A empresa Technoedif-Engenharia, S.A. é que ficou encarregue deste projecto.

Foi no dia 31 de Março de 2011 inaugurado o Centro de Alto Rendimento de Natação.
O custo orçado em 2 milhões de euros contou com um apoio de 75% da Administração Central (via os programas QREN e POVT), ficando os restantes 25% a cargo da autarquia de Rio Maior. Este investimento foi para fazer os melhoramentos nas já referidas melhoria da eficiência energética, melhoria das condições dos utentes e na melhoria das condições para os atletas de alto rendimento. Também o edifício do Centro de Estágios foi reestruturado e ampliado de modo a poder acolher 137 atletas.
Na inauguração estiveram presentes: Laurentino Dias, Secretário de Estado da Juventude e do Desporto; Isaura Morais, Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior; Luís Sardinha, Presidente do Instituto de Desporto de Portugal; Paulo Frishkenecht, Presidente da Federação Portuguesa de Natação; Carlos Coutinho, Administrador da DESMOR; Rosa Mota, Ex-campeã Olímpica da Maratona; ...
O Centro de Alto Rendimento vai servir quatro especialidades da natação: Natação pura; pólo-aquático; natação sincronizada e saltos para a água.
Os atletas que usem o centro, vão ter disponíveis novos sistemas, como: Sistema de recolha e integração de imagens subaquáticas; Análise da força de partida e viragem; Uma sala preparada para treino específico em seco e Sala de apoio médico e laboratorial.





O Tanque de Saltos é exterior.
A piscina tem as dimensões de 15x18,5m.
O tanque possui uma profundidade de 5,5m com plataformas de salto aos 3, 5, 7.5 e 10m.
Esta piscina está aberta para ao público em geral nos meses de Verão (normalmente Julho e Agosto).



O Tanque de Aprendizagem é interior e destina-se ao público mais jovem.
A piscina tem as dimensões de 12,5x8m.
A piscina tem uma profundidade que varia entre os 0,60m e 0,80m.
A água está à temperatura de 29ºC.



A Piscina de 25 metros é interior.
A piscina possui 25x12,5m e está dividida em 6 pistas.
A piscina tem uma profundidade que varia entre os 1,20m e 1,75m.
A água está à temperatura de 29ºC.
Possui bancadas para 120 espectadores.



A Piscina Olímpica de 50 metros é interior.
A piscina possui 50x25m e está dividida em 10 pistas com cronometragem electrónica.
Os blocos de partida possuem medição do tempo de reacção.
A piscina tem uma profundidade que varia entre os 1,40m e 2,20m.
A água está à temperatura de 27ºC.
Possui um sistema de recolha e integração de imagens subaquáticas.
Possui bancadas para 550 espectadores e 8 camarotes.


Este é mais um exemplo de um excelente equipamento desportivo que existe em Rio Maior.
Tem a grande virtude de estar integrado num grande e muito bem equipado complexo desportivo e de se encontrar localizado junto ás escolas de Rio Maior.

Para saber mais sobre o tanque de saltos das piscinas, consulte: