Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Fonte em Pé da Serra


Na Rua da Fonte, Pé da Serra, existe mais uma bonita fonte.

A Junta de Freguesia de Rio Maior realizou melhoramentos nesta fonte em 1995.

A bica de água é ladeada por dois bancos corridos. A parede de fundo possui uma facha de azulejos com desenhos geométricos por cima dos bancos e ao centro um painel de azulejos com motivos campestres alusivos à recolha de água.
Pena é a presença de um contentor de lixo mesmo ao seu lado.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Fonte em Vale da Laranja


Em Vale da Laranja, Rio Maior, existe uma velha fonte.
Esta fonte encontra-se mesmo na berma da Rua Principal que liga a Fonte da Bica a Alcobertas.



Esta velhinha fonte de duas bicas está em muito mau estado de conservação.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Fonte na Senta


Na Senta, Rio Maior, existe uma antiga fonte.

Esta fonte encontra-se num recanto do povoado e ainda conserva uma pia para lavar e uma pedra para esfregar/bater a roupa.

A ladear a bica de água encontram-se dois bancos corridos.
Na parede de fundo da fonte e por cima de um painel de azulejos alusivo à aparição Mariana em Fátima, existe uma placa com a data de 1893 (Obra Pública).

A fonte foi restaurada em 1997 pela Junta de Freguesia de Rio Maior.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

O Rio Maior na Cidade


Hoje proponho fazer uma pequena visita a alguns pontos de interesse do rio Maior na cidade de Rio Maior.

O rio dificilmente se consegue ver ao atravessar a cidade, mas passa mesmo perto do centro desta e com alguns lugares de incrível beleza e harmonia.

Vale a pena aos riomaiorenses despenderem um pouco de tempo para conhecerem melhor este rio que ao atravessar a cidade ainda conserva muita da sua pureza, havendo peixes e aves a usufruir da sua frescura.
Vale a pena aos responsáveis autárquicos refletir de como se pode devolver o rio à população e com isto trazer mais pontos de lazer, dinamizando o turismo e a economia.
 Rio Maior (1)
 Rio Maior (2)
 Rio Maior (3)
 Rio Maior (4)
 Rio Maior (4)
 Rio Maior (5)
 Rio Maior (6)
 Rio Maior (7)
Faz todo o sentido juntar o rio ao património de Rio Maior. 

 Villa Romana (A)
  Villa Romana (A)
  Casa Senhorial e Igreja da Misericórdia (B)
 Igreja Matriz (C)
 Paços do Concelho (D)
 Cineteatro (E)
 Estádio Municipal (F)
 Pavilhão Multiusos (G)
 Mina do Espadanal (H)

E ainda fica muito por descobrir...

Pode sabr mais sobre o Rio Maior, em: 
http://rio-maior-cidadania.blogspot.pt/2010/01/o-rio-maior.html

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Fonte em Casais Monizes


Em Casais Monizes existe uma agradável fonte de água, mesmo ao lado do Clube Motard Montanelas.

A fonte é ladeada por dois bancos corridos que terminam em duas floreiras. Todo o conjunto está coberto com pedra.
A meio existe um bonito painel de azulejos. 

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Antigo Matadouro Municipal de Rio Maior


O Matadouro foi inaugurado a 24 de Fevereiro de 1935, sendo considerado na altura uma das obras importantes para o Município de Rio Maior.

As obras começaram em 1932 em simultâneo com as obras para a nova estação dos correios de Rio Maior. A proximidade do rio Maior que lhe corre nas traseiras não era inocente, pois nessa altura as preocupações ecológicas não eram tão importantes como a facilidade em escoar resíduos. Isto era prática corrente, sendo este matadouro considerado um dos mais evoluídos entre os que existiam em Portugal.
Em 1957 deixou de ter razão de existir este matadouro, com a inauguração do Primeiro Matadouro Regional de Portugal em Rio Maior, por iniciativa de Marcolino Nobre. Em 1962 foi constituída a sociedade “Indústrias de Carnes Nobre, Lda”.

Hoje o matadouro já não existe tendo sido demolidas as suas instalações. Ainda podem ser observadas as duas casas que lhe serviam de suporte.
Uma das casas serve como posto para o veterinário de Rio Maior e o espaço do pátio é ocupado como garagem das camionetas de carreira.
O nome da rua que lhe passa à porta não deixa enganar, pois é a Rua do Matadouro.

domingo, 9 de novembro de 2014

Escultura na rotunda de Casais Monizes


Foi no passado dia 6 de Novembro de 2014 (Celebração do 178º aniversário do Concelho de Rio Maior) inaugurada a requalificação da Rotunda de São Sebastião em Casais Monizes.

A peça em destaque nesta rotunda é a escultura “Ingénua, Eterna Magia” da escultora italiana Antonella Tiozo.
Esta obra foi uma das esculturas expostas no Jardim Municipal de Rio Maior, realizada em Setembro de 1993, para a VI Semana da Pedra do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros.
Na inauguração estiveram presentes, entre outros, Isaura Morais, Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior e João de Deus Ferreira, Presidente da Junta de Freguesia de Alcobertas.

Na base da escultura existe ainda parte de um poema “existe um pedaço de pedra no Céu que domina todas as águas...”

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

O rio Maior nos mapas


O Rio Maior é um curso de água que nasce na Serra dos Candeeiros, nas “Bocas” (Rio Maior) e desagua no rio Tejo, perto de Azambuja.
Ao longo do seu percurso o rio Maior é também chamado de Vala da Asseca, Ribeira da Asseca, Vala da Azambuja e Vala Real.
Atualmente o percurso do rio Maior é de cerca de 70 quilómetros.

Antigamente o rio Maior desaguava no rio Tejo entre Santarém e o Cartaxo, provavelmente perto de Carneiras.
No século XVIII o rio Maior foi desviado para a Vala Real de Azambuja, mandada construir por ordem do Marquês de Pombal. As obras começaram no reinado de D. José I e foram concluídas no reinado de D. Maria I. Esta vala é navegável em cerca de 17km e antigamente permitia a passagem de barcos de 30/35 toneladas que escoavam os produtos da região para Lisboa e permitia também o transporte de pessoas.

Desde o primeiro mapa de Portugal feito por Fernando Álvaro Seco, em 1561, decidi ver como o percurso do rio Maior foi representado ao longo do tempo até finais do século XIX.
Para facilitar a identificação do rio Maior, clareei a zona em que ele é representado.
É interessante observar como o local em que o rio Maior desagua no rio Tejo muda. Claro que é necessários compreender que os mapas mais antigos eram pouco precisos.
 1561 - Mapa de Fernando Álvaro Seco
 Mapa realizado com base no 1º mapa
 1613-1664 Mapa de Apud Joannem Janbonnium
 1640 Carta da Correição de Santarém
 1640-1679 Mapa de Visscher Nicolaus
 1663 Mapa de Sanson e Nicolas
 1720-1756 Mapa de Seutter e Mathäus
 1736 Mapa de Homann e Joahann Baptist
 1751 Mapa de Robert de Vagondy e Giles
 1800 - Mapa de Homannischen Erben e Franz
 1801 Mapa de Cary e John
 1829 Mapa de Hall e Sidney
1883 Mapa de Letts e Son and Co. 

Pode saber mais sobre o rio Maior, em: 
O rio Maior, da nascente até à cidade de Rio Maior. 
Sobre o curso do rio Maior: 

sábado, 1 de novembro de 2014

Noite de Arrepios na Casa Senhorial


Ontem a Casa Senhorial  D’EL Rei D. Miguel, em Rio Maior recriou uma Noite de Arrepios no verdadeiro espírito do Halloween.
Estão de parabéns todos os organizadores e participantes, pois conseguiram transformar esta casa emblemática de Rio Maior numa verdadeira casa assombrada.
Conseguiram de uma forma honesta e profissional criar verdadeiros arrepios nos jovens e graúdos que por aí passaram (e foram muitos).

Apesar do Halloween não ser uma festa tradicional portuguesa, não podemos negar que cada vez existem mais pessoas a entrarem no espírito do dia. Aproveitar a data para dinamizar o espaço da Casa Senhorial foi uma excelente ideia que devem de repetir.

Podem saber mais sobre a Casa Senhorial em: