Pesquisar neste blogue

domingo, 20 de agosto de 2017

7 Maravilhas das Aldeias de Portugal - Salinas da Fonte da Bica



É hoje a eleição para a final das 7 Maravilhas das Aldeias de Portugal e a Aldeia das Salinas da Fonte da Bica (Rio Maior) conta consigo.


Para ajudar a Aldeia das Salinas da Fonte da Bica a passar à final deve ligar 760107001 até perto das 23:00 de hoje.
A chamada tem um custo de 0,60€+iva. Se quiser e puder deve telefonar para ajudar a promover as salinas e a região.

Mas o que é que a Aldeia das Salinas da Fonte da Bica tem de especial?
A povoação encontra-se na zona das maiores salinas de interior da Península Ibérica, no sopé da Serra dos Candeeiros e já era explorada desde o tempo dos romanos havendo documentos escritos de 1177. Possui casas em madeiras praticamente intactas com designe e fechaduras únicas. As técnicas ancestrais usadas para a produção de sal ainda podem ser apreciadas no local bem como a memória do local onde os homens saciavam a sede após longas horas de árduo trabalho, a ‘Taverna do Salineiro’ e as ‘Réguas de Escrita’. O Ecomuseu Salinas de Rio Maior recebeu em 2012 o prémio Geoconservação. Na Aldeia das Salinas da Fonte da Bica são organizados vários eventos como o acampamento ‘Sal e Templários’, ‘Aldeia Natal’, Recriação Etnográfica e Histórica da Produção de Sal e o concurso ‘Melhor Monte de Sal da Eira’.
Pode saber mais sobre as salinas nos vários artigos realizados neste bolog: 







A 7Maravilhas ® tem desde 2007 divulgado os valores positivos da identidade Nacional.
Em 2007 foram as 7 Maravilhas de Portugal, em 2009 as Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo, em 2010 as Maravilhas Naturais de Portugal, em 2011 as Maravilhas da Gastronomia, em 2012 as Maravilhas Praias de Portugal e agora em 2017 são as Maravilhas de Portugal Aldeias.

De um total de 446 candidaturas apresentadas, a 7Maravilhas® apurou 332 para o concurso Maravilhas de Portugal. O centro de Portugal teve o maior número de candidaturas apuradas, num total de 159. A 7 de Abril deste ano, um painel de especialistas apurou as 49 pré-finalistas, divididas por 7 categorias: Aldeias Monumento; Aldeias de Mar; Aldeias Ribeirinhas; Aldeias Rurais; Aldeias Remotas; Aldeias Autênticas e Aldeias em Áreas Protegidas.
As Salinas de Fonte da Bica concorrem na categoria de Aldeias em Áreas Protegidas e concorrem com Bordeira, Chão da Ribeira, Lindoso, Penedo, Rio de Onor e São Lourenço.


Da votação de hoje, vão ser seleccionadas 2 aldeias que se juntaram às outras já escolhidas para a grande final do dia 3 de Setembro de 2017. 
As aldeias já apuradas são: Monsanto, Monsaraz, Azenhas do Mar, Fajã dos Cubres, Dornes, Santa Clara-A-Velha, Paderne, Sistelo, Piódão, Castro Laboreiro, Castelo Rodrigo e Podence.

---
A votação terminou e a Aldeia das Salinas da Fonte da Bica não passou à final.  Passou Lindoso e Rio de Onor.
Só por participar, as Salinas de Rio Maior, tiveram uma enorme projecção e reconhecimento das suas potencialidades turísticas. Agora tem que se aproveitar o momento e continuar o trabalho de recuperação do espaço e promoção do mesmo.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Rio Maior fora do PAEL


Desta vez, estar fora é bom pois significa que Rio Maior conseguiu sair do vermelho quanto a dívidas, deixando de ser considerado que possui divida em excesso.

A 31 de Agosto de 2012, criou-se o Programa de Apoio à Economia Local (PAEL), estabelecendo um regime excepcional e transitório de concessão de crédito aos municípios, permitindo a execução de um plano de ajustamento financeiro municipal para a concretização de um cenário de equilíbrio financeiro e para a regularização do pagamento das dívidas dos municípios vencidas há mais de 90 dias.
Rio Maior teve de entrar neste plano o que trouxe restrições orçamentais. Com o PAEL os municípios devedores ficam obrigados a fazerem um plano de ajustamento financeiro e sujeitos a um regime transitório de concessão de crédito. Este regime limita e obriga a critérios de racionalidade na gestão da despesa corrente, de forma a aumentar as receitas.

No início de 2016 estavam endividados em excesso 79 municípios, todos eles sujeitos à aplicação do PAEL. No final de 2016, 57 municípios conseguiram cumprir com os limites de dívida, havendo assim 22 municípios que permanecem com dívidas excessivas.
No Distrito de Santarém, Rio Maior, Chamusca, Ourém, Sardoal, Torres Novas e Barquinha, estavam sujeitos ao PAEL mas conseguiram cumprir com o limite da dívida acordado. Santarém e Cartaxo apesar de também estarem sujeitos ao PAEL não conseguiram cumprir com o limite acordado de dívida. Sempre que os municípios sujeitos ao PAEL não cumpram as regras, o Governo passa a reter as verbas prevista ao nível das transferências do Orçamento de Estado. Essas verbas passam a ser usadas para financiar o Fundo de Regularização Municipal.

O limite de dívida de cada concelho (a partir de 2014) é variável e igual ao valor que se obtém ao multiplicar por 1,5 a média da “receita corrente líquida” que o respectivo município obteve nos três anos anteriores.


Pode-se ver um resumo financeiro de Rio Maior, com os dados retirados da página da Direção-Geral das Autarquias Locais.

- Em 2009 Rio Maior recorreu ao Programa de Regularização Extraordinária de Dívidas do Estado (PREDE). Pode-se financiar com 521.012€ do Estado e 631.519€ duma Instituição de crédito.

- Os prazos médios de pagamento também têm vindo a ser reduzidos
31/12/2015         101 dias
31/03/2016         93 dias
30/06/2016         78 dias
30/09/2016         64 dias
31/12/2016         45 dias

- Receitas e dívidas do Município de Rio Maior
2007      Limite dívida                   12.851.976€ 
              Total dívida                      17.388.047€ 
              Receita Corrente              ---
2008      Limite dívida                   12.843.938€ 
              Total dívida                      14.776.371€ 
              Receita Corrente              ---
2009      Limite dívida                   12.524.245€ 
              Total dívida                      19.793.634€ 
              Receita Corrente              ---
2010      Limite dívida                   13.068.417€ 
              Total dívida                      17.678.760€ 
              Receita Corrente              ---
2011      Limite dívida                   6.714.997€ 
              Total dívida                      16.781.135€ 
              Receita Corrente             13.967.081€
2012      Limite dívida                   6.674.831€ 
              Total dívida                      14.875.300€ 
              Receita Corrente             14.001.376€
2013      Limite dívida                   6.674.831€ 
              Total dívida                      12.539.069€ 
              Receita Corrente             14.707.596€
2014      Limite dívida                   21.338.027€ 
              Total dívida                      18.990.114€ 
              Receita Corrente             14.890.964€
2015      Limite dívida                   21.799.968€ 
              Total dívida                      16.424.581€ 
              Receita Corrente             15.736.822€
2016      Limite dívida                   22.667.691€ 
              Total dívida                      --- 
              Receita Corrente             16.922.207€
2017      Limite dívida                   23.774.996€ 
              Total dívida                     --- 
              Receita Corrente             ---

O objectivo de apresentar estes dados é puramente informativo. É sem intenção qualquer eventual erro de transcrição ou interpretação.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Ponte sobre a ribeira de Freiria em Azambujeira.


No dia 10 de Novembro de 2015 começaram as obras substituição da ponte metálica sobre a ribeira da Freiria, localizada na EN114-2 em Rio Maior.

Esta obra teve como objectivo a substituição da ponte metálica por outra em betão e a construção dos respectivos acessos marginais à nova travessia, adequando o traçado da EN114-2 numa extensão de cerca de 300 metros. Com a obra solucionou-se as restrições à circulação existentes na altura, beneficiando a segurança rodoviária mas também das condições de mobilidade e acessibilidade das pessoas e empresas da região.

Os trabalhos foram divididos por duas fases. Numa primeira fase foi realizada a construção da ponte sobre a ribeira de Freiria e respectivos acessos. Na segunda fase e já após a abertura ao tráfego desta nova travessia, deu-se início à obra de desmantelamento da ponte metálica.
A nova Ponte sobre a ribeira da Freiria tem uma extensão de 50 metros, possuindo 2 vãos de 25 metros cada, com apoio central no leito da ribeira. A largura total é de 14,1 metros, com faixa de rodagem de 10 metros e passeios de 1,5 metros de largura útil. Esta obra representou um investimento superior a 640 mil euros e teve um prazo de execução de 270 dias.

Em Novembro de 2016 já as obras estavam terminadas.


Esta obra era necessária e seguiu o mesmo plano que foi realizado em 2010 para a obra na ponte do Barbancho. O artigo pode ser consultado em: 


Pena é ambas as pontes metálicas terem sido destruídas.
Neste caso é uma ponte histórica de 1876 que simplesmente se destruiu.
Pode saber mais sobre esta ponte em: